NeoEnergy

Solar ultrapassa usinas térmicas e se torna 3º maior fonte do Brasil!

A energia solar ultrapassou as termelétricas de gás natural e de biomassa e se tornou a terceira maior fonte da matriz elétrica nacional, ficando atrás somente das hidrelétricas e das usinas eólicas, segundo dados da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

O mapeamento da entidade revela que a fonte já corresponde por 8,1% de toda a matriz, com 16,4 GW de potência instalada nos segmentos de geração distribuída (11,31 GW) e centralizada (5,09 GW).

Na comparação com o boletim de janeiro, o crescimento da solar em 2022 chama a atenção: foram exatos 3,4 GW instalados nos primeiros seis meses do ano, sendo quase 90% a partir de residências, fachadas e pequenos terrenos.

O crescimento da solar, assim como a de outras fontes, tem ajudado o Brasil a diversificar a matriz e fazer com que o país seja menos dependente das hidrelétricas. No ano passado, a falta de chuvas e o baixo nível dos reservatórios acendeu um alerta para essa importância.

Segundo o MME (Ministério de Minas e Energia), nos próximos anos, a previsão é de uma redução significativa da participação das hidrelétricas no país por conta do avanço das fontes eólica e solar, incluindo projetos de geração distribuída voltados para pequenos consumidores.

Nos últimos dez anos, além de garantir economia na conta de luz dos brasileiros, a energia solar também já foi responsável por evitar a emissão de mais de 24,6 bilhões de toneladas de carbono na atmosfera e garantir inúmeros benefícios sociais para o país.

Entre eles estão: a criação de mais de 492 mil novos empregos, a atração de mais de R$ 87 bilhões em investimentos, além da arrecadação de mais de R$ 23 bilhões em tributos, o que ajuda a fomentar a economia e o desenvolvimento de estados e municípios.

fonte:https://canalsolar.com.br/solar-ultrapassa-usinas-termicas-e-se-torna-3o-maior-fonte-do-brasil/

Compartilhe nas redes

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn